domingo, 13 de fevereiro de 2011

Dos Regionais às Jazz Bands (a música de José da Cruz)


Polcas, maxixes, choros, valsas, tangos, fox-trotes, habaneras, marchas carnavalescas, lundús... Esses e tantos outros gêneros musicais popularizavam-se de maneira febril entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX. Na década de 1930, Curitiba já era o berço de um expressivo contingente de instrumentistas, cantores, arranjadores, jazz-bands, regionais, big-bands, orquestras e compositores desta música genuínamente brasileira.
Em 2002, os pesquisadores Tiago Portella e Marília Giller dão início a uma grande pesquisa de resgate de acervos musicais destes compositores, culminando em uma expressiva exposição no Museu Paranaense (MP) intitulada “Dos Regionais às Jazz Bands” que pela primeira vez apresentou ao público, instrumentos musicais, partituras manuscritas originais e imagens de diversos conjuntos musicais inéditos, além de duas apresentanções musicais realizadas nas instalações do museu. Foram pesquisados materiais referentes aos acervos de José da Cruz, Antonio Melillo, Curityba Jazz-band; Regional dos Irmãos Otto; Ideal Jazz-band; Oriente Jazz-band; Tupynambá Jazz-band, e Estefhano João Giller. Grupos e compositores que atuaram intensamente em Curitiba durante o final do séc. XIX e a primeira metade do século XX. Os manuscritos do músico José da Cruz, (talvez o mais completo e significativo repertório da música popular curitibana) é composto por cerca de 2000 manuscritos musicais, onde foram encontrados arranjos completos, em sua maioria para formações jazz band. Para obter a sonoridade de época, formou-se uma mescla de timbres entre uma formação regional com dois violões, cavaquinho, pandeiro e uma jazz band com piano, trumpete, clarinete, flauta e bateria, no intuito de realizar esta apresentação de obras musicais inéditas do músico José da Cruz, que viveu o período de transformação ocorrida nos grandes centros urbanos, quando os agrupamentos musicais passaram da formação de regionais para a formação jazz-band. Esta apresentação musical resgata obras populares (maxixes, polcas, sambas, choros, marchas carnavalescas, fox-trotes...), deste compositor nascido em Campo Largo, radicado em Curitiba. Foram remontados arranjos originais, revelando a sonoridade das orquestrações de época. Destaca-se a participação da cantora Odah Terezinha Cruz, que em 1943 estreou na rádio PRB-2, em 1947 na rádio Guayracá e em 2010 retorna aos palcos aos 81 anos para interpretar obras de seu pai, José da Cruz.

Tiago Portella
Otto Produções

Nenhum comentário:

Postar um comentário